Como o Fisioterapeuta Deve Tratar Hérnia de Disco

2
1456
Como o Fisioterapeuta Deve Tratar Hérnia de Disco

A Hérnia de disco é um dos grandes problemas ortopédicos do século.

Esse acometimento está cada vez mais prevalente na população e vem aparecendo cada vez mais cedo no ciclo de vida.

Isso porque o comportamento da sociedade está mudando.

As posturas e hábitos de vida estão cada vez mais sedentários, cada vez mais flexores, propiciando o surgimento de alterações que antes eram muito mais raras.

Por isso, o fisioterapeuta e os profissionais que cuidam da saúde das pessoas devem estar preparadas para tratar as demandas que aparecem no seu dia a dia.

Foi pensando nisso que trouxemos, o tema hérnia de disco, para abordarmos os tópicos mais relevantes e discutimos um pouco sobre o tratamento fisioterápico dessa condição.

O que é Hérnia de Disco?

Como o Fisioterapeuta Deve Tratar Hérnia de Disco

A hérnia de disco é definida clinicamente como o prolapso do núcleo pulposos do disco intervertebral, na direção do canal espinhal.

A 1° observação de uma hérnia de disco

A primeira observação de uma hérnia de disco foi feita em 1857, após  análise de uma autopsia que relatou a extrusão do disco vertebral para o canal medular.

Mas a descrição dessas estruturas de forma concreta e a definição do que é uma hérnia de disco e do seu mecanismo, vieram um ano depois, pelas publicações de Von Luschka.

A 1° cirurgia para correção de hérnia de disco

A primeira cirurgia para correção de hérnia de disco foi realizada em 1934, o que foi uma revolução do tratamento de pacientes com dores nas costas.

Como a cirurgia foi efetiva em reduzir a dor do paciente, por muito tempo acreditou-se que a hérnia de disco era responsável por todas as dores nas costas observadas clinicamente.

Hoje em dia, no entanto, sabemos que essa condição é responsável por apenas uma pequena parte das dores da coluna e que a maioria delas é de origem, puramente, mecânica ou mesmo idiopática.

Além disso, hoje sabemos que, mesmo entre os pacientes com hérnia de disco, poucos possuem indicação cirúrgica e que o tratamento de escolha é a fisioterapia, acompanhada de tratamento analgésico medicamentoso.

As Alterações Anatômicas Responsáveis pela Hérnia de Disco

Partindo do pressuposto de que todos sabem um pouco sobre a anatomia normal da coluna vertebral, vamos discutir um pouco sobre as alterações que levam ao surgimento da hérnia de disco.

Com o passar dos anos, algumas alterações ocorrem de forma fisiológica na coluna, associadas principalmente ao envelhecimento, incluindo alterações histológicas, bioquímicas e histoquímicas.

Além disso, ocorre uma perda de água no disco intervertebral, que é verificadas logo na primeira década de vida do indivíduo.

As alterações no tecido conjuntivo das lamelas dos discos ocorrem á partir da segunda década de vida e a presença de quantidades diferentes de sulfato de condroitina no núcleo cai ao longo dos anos.

Dessa forma, é difícil determinar o que é devido simplesmente ao envelhecimento e quais alterações ocorrem pela degeneração do disco.

Devemos levar  em conta ainda as sobrecargas biomecânicas diárias, impostas sobre os discos intervertebrais, o que contribuiria ainda mais para sua degeneração.

Tipos de Alterações que levam á Hérnia de Disco

Não existe uma condição [unica que leva à herniação do disco intervertebral, mas sim 7 tipos distintos de patologias discais.

Vamos descrever um pouco cada uma delas a seguir:

Tipo #1 – Estiramento Agudo das Costas

Esse tipo de alteração discal ocorre após um esforço súbito e acima da capacidade de indivíduo, em uma coluna que já é normalmente sobrecarregada.

A partir desse esforço, podem estar presentes condições como a ruptura de fibras do annulus fibrosus, uma lesão das cartilagens, uma ruptura dos ligamentos ou a ruptura de fibras musculares, o que pode levar à herniação do disco.

Tipo #2 – Aumento da Pressão Interna do Disco

Esse tipo engloba as hérnias de disco idiopáticas, ou seja, sem causas definidas que aparentemente possuem relação com o aumento de líquido dentro dos próprios discos.

Tipo #3 – Ruptura Póstero-lateral do

A Ruptura do annulus fibrusus pode levar à extrusão do sico nessa região, gerando uma irritação local, com consequente dor e incapacidade.

Tipo #4 – Ruptura do annulus fibrosus e Saliência do Disco

Caso a ruptura dessa estrutura seja mais importante, pode haver uma compressão expressiva de tecido nervoso por herniação de maior conteúdo discal, gerando sintomas neurológicos descendentes.

Tipo #5 – Núcleo ou Material Discal Sequestrado

Nesses casos, o annulus fibrosus está totalmente lesionado e degenerado e o disco escapa totalmente da sua posição e ocupa uma posição de constante compressão expressiva de tecido nervoso por herniação de maior conteúdo discal, gerando sintomas neurológicos descendentes.

Tipo #6 – Fragmento Sequestrado no Forame ou Canal Medular

Nesses casos, apensas parte do disco escapa para o canal vertebral, gerando sintomas muito semelhantes com o tipo anterior, só que aqui a cirurgia de correção pode ser mais eficaz para o alívio dos sintomas.

Tipo #7 – Disco Totalmente Degenerado

Esses tipos envolvem acometimentos degenerativos diretamente no disco intervertebral, o que exige correção cirúrgica do mesmo, ou tratamento contínuo para que os sintomas sejam reduzidos.

Principais Sinais e Sintomas da Hérnia de Disco

Como o Fisioterapeuta Deve Tratar Hérnia de Disco

O principal sintomas da hérnia de disco é a dor e é muitas vezes por causa dela que o paciente procura o fisioterapeuta no seu consultório.

As Características da dor na Hérnia de Disco são:

  • Dor predominantemente no nível do disco;
  • Dor espontânea;
  • Dor permanente;
  • Dor exacerbada por pressão digital;
  • Espasmo muscular.

Os sintomas periféricos aparecerão quando houver acometimento de raízes nervosas ou compressão medular ou de tecido nervoso, geralmente apresentando irradiação para os segmentos abaixo do nível da lesão discal.

Além da dor irradiando pela área nervosa, as alterações neurais associadas à compressão nervosa na hérnia de disco podem incluir:

  • Alterações sensoriais, como hipoestesia na área inervada pela raiz comprimida;
  • Alterações dos reflexos, com o desaparecimento ou redução. Lembrando que a resposta normal nos testes de reflexo também pode ser encontrada;
  • Alteração motora que pode ser aguda, ou seja, aparecer justamente coma dor ou mesmo se apresentar como alterações graduais e progressivas ao longo do tempo.

Tratamento Fisioterápico da Hérnia de Disco

Como é o caso de todos os tratamentos na fisioterapia, não existe uma recita de bolo ou uma fórmula mágica para o tratamento da hérnia de disco.

Porém, existem algumas recomendações baseadas na literatura, que nos apontam para as melhores condutas em cada fase de evolução da condição e que se mostraram eficazes na maior parte dos indivíduos com quadros clínicos semelhantes.

Vamos descrever aqui o que encontramos de mais recente em relação ao tratamento da hérnia de disco em linhas gerais, enfatizando que o tratamento deve sempre ser individualizado e focado nas necessidades  e alterações encontradas na avaliação de cada paciente.

O Tratamento para a Fase Aguda da Hérnia de Disco

O tratamento para a Fase Aguda da hérnia de disco constitui principalmente no alívio da dor e redução do processo inflamatório subjacente.

É nessa fase que indicamos o que é conhecido como repouso controlado, associado à modificações nos padrões posturais e de atividade do paciente.

Nessa fase, recomenda-se evitar movimentos como flexão e inclinação da coluna.

Como forma de aliviar a dor, pode-se usar recursos físicos terapêuticos, que auxiliarão no combate à inflamação, como:

  1. EletroterapiaTens e Laser com finalidade anti-inflamatória
  2. Calor – Através de bolsas de água quente, almofadas térmicas, compressas com toalhas aquecidas, infravermelho.
  3. Tração Cervical ou Lombar  Manual ou em Mesa de Tração Eletrônica – Apesar muitas pessoas terem receio das mesas de tração, elas são comprovadamente muito seguras, conforme inúmeras pesquisas realizadas.
  4. Técnicas Manipulativas – Manipulação feita pelo profissional com finalidade de descomprimir o local da hérnia, liberar musculatura e analgesia.
  5. Uso da Dynamic Tape – Deve ser aplicada com a finalidade de retirada de carga da região afetada.
  6. Coletes – Dependendo do caso, pode ser necessário o uso de Coletes para limitar algum tipo de movimento, embora a imobilização deva ser evitada porque é uma forma de enfraquecer uma musculatura que na verdade precisa ser fortalecida.

O Tratamento para as Fases Subaguda e Crônica da Hérnia de Disco

Nestas fases, uma vez que a dor e processo inflamatório foram superados, o objetivo do tratamento passa a ser a funcionalidade.

Agora é hora de investir no fortalecimento, no alongamento, nos exercícios de correção postural, bem como no treinamento de resistência da musculatura estabilizadora dos costas.

Métodos que podem ser utilizados nesta fase:

  1. Musculação – Visa fortalecer a musculatura e manter os benefícios do tratamento.
  2. Pilates – Para ajudar a melhorar o condicionamento físico
  3. Alongamentos – O benefício dos alongamentos é muito significativo e deve ser bem avaliado onde ele será iniciado porque, dependendo do caso, ele pode ser iniciado inclusive na fase aguda.
  4. Exercícios – Para quando a pessoa não apresenta não apresenta dor aguda
  5. RPG
  6. Hidroterapia – O paciente também deve ser orientado como ele pode colaborar para acelerar sua própria recuperação e é você quem deve orientá-lo sobre as atividades indicadas e contraindicadas para ele.

# Bônus – 8 Cuidados Adicionais Recomendados para Quem Tem Hérnia de Disco

  1. Utilizar um bom colchão (de preferência mais duro);
  2. Dormir bem;
  3. Dobrar as pernas quando for abaixar.
  4. Manter-se em movimento para mobilizar a coluna;
  5. Evitar ficar muito tempo na mesma posição;
  6. Caminhar e realizar movimentos suaves e orientados;
  7. Evitar sofás e cadeiras muito baixas;
  8. Não ficar mais de 2 horas sentado.

Dúvidas?

Se você ficou com alguma dúvida ou tem algo para acrescentar na discussão, compartilhe conosco nos comentários abaixo!

Você costuma tratar pacientes com Hérnia de Disco no consultório?

Conte para a gente nos comentários o que costuma fazer por eles e quais são os seus resultados!