Como ter sucesso na aplicação de bandagens

0
1921

Neste artigo de hoje, vamos usar a bandagem Dynamic Tape como exemplo, para mostrar qual o caminho a ser trilhado para que você consiga realizar uma aplicação de bandagem eficiente.

A Dynamic Tape (DT) é mais um recurso fisioterapêutico para o tratamento de diversas condições, baseado em um raciocínio clínico bem embasado, como mostramos nos textos anteriores sobre essa bandagem.

O raciocínio biomecânico por trás da sua aplicação, por si só já nos dá a idéia de que a DT é fluida, e seu uso é ditado caso a caso, e não algo rígido baseado em prescrições ou protocolos.

Para se fazer uma aplicação eficaz da Dynamic Tape é necessário definir seu objetivo e seguir as orientações de um roteiro que foi desenvolvido pelo Ryan Kendrick, que é o fisioterapeuta australiano, criador da bandagem e do método. Isto permitirá que você faça aplicações personalizadas para o tratamento dos seus pacientes. Isso porque os seus pacientes possuem perfis completamente diferentes, além de patologias totalmente diferentes também. Por isso é necessário que você sempre utilize técnicas diferentes e raciocínios diferentes para tratar cada caso.

A DT permite explorar essa diversidade de indivíduos e de condições dentro de uma mesma técnica e  através de uma avaliação rigorosa. Considerando a anatomia, a funcionalidade e a biomecânica de cada paciente, pode ser utilizada de forma individualizada para complementar outras modalidades de tratamento que você já utiliza na sua clínica diária.

Como ter sucesso na aplicação de bandagens
Dynamic Tape sendo aplicada dentro de uma técnica

Como o resultado da Dynamic é sentido assim que você termina a aplicação, ela permite que você mande seu paciente de volta para casa, bem melhor do que quando ele chegou no seu consultório. E além disso, ela prolonga o resultado do trabalho que você realizou durante a sessão, fazendo com que a perda entre uma e outra sessão seja muito menor. Isto facilitará o seu trabalho e fará com que seus pacientes fiquem mais felizes.

Para que você tenha sucesso com a Dynamic Tape, o primeiro passo é definir qual o objetivo que se quer atingir com a aplicação.

Definindo seu objetivo

O principal elemento para maximizar o efeito da sua técnica de aplicação de DT é traçar, de forma muito clara para você, qual é o resultado que você deseja atingir com a sua intervenção.

Ele dever ser claro e preciso, além de ser baseado em um raciocínio clínico forte.

É importante ressaltar que esse elemento é fundamental no raciocínio do desenvolvimento de qualquer técnica fisioterapêutica e não só para a aplicação da bandagem Dynamic tape.

Uma primeira hipótese deve ser formulada através de uma análise subjetiva e avaliação física bem feita, sendo então interpretada de acordo com o conhecimento sobre a patologia de base, anatomia, fisiologia e mecânica da doença.

Questionamentos sobre a história, o local, a natureza e o surgimento dos sintomas, assim como fatores agravantes e fatores desencadeadores do sintoma, podem ajudar a identificar prováveis causas e fatores que contribuam para o quadro e direcionar o exame físico.

O exame físico deve ser realizado de forma a melhorar e ampliar essa hipótese primária e excluir causas potenciais, de forma a prevenir um viés de confirmação (apenas testar coisas que confirmem a primeira hipótese, ou omitir, ou ignorar evidências que mostrem o contrário).

Em alguns casos, esse processo tomará o tempo de algumas sessões de tratamento, pois a contribuição de vários fatores é levada em consideração.

A bandagem pode ser rapidamente aplicada para testar a sua hipótese e os resultados podem ser analisados imediatamente, auxiliando no planejamento de uma intervenção a longo prazo. Embora essa estratégia não comprove necessariamente uma relação de causa e efeito, ela serve para embasar a hipótese que você traçou como seu objetivo.

A avaliação deve sempre incluir a estrutura, ou as estruturas acometidas, pois dificilmente existe apenas uma estrutura envolvida em alterações biomecânicas e estruturas adjacentes a ela. Essas estruturas podem ser articulares, miofasciais, ou neurais. Ela deve promover um vislumbre do tipo de lesão, do estágio da doença de base e da dor envolvida no processo, bem como das limitações dela resultantes. Fatores contribuintes, como treinamento, tipo de equipamento utilizado durante o treinamento, ou posturas inadequadas durante a realização de atividades específicas, devem ser identificados nesse momento.

A partir dessa análise, somos capazes de determinar quais posições ou movimentos podem estar agravando a condição, ou mesmo fatores que podem estar contribuindo para o seu alívio, que frequentemente são deixados de lado.

A base para a aplicação da técnica de DT escolhida pode ser então desenvolvida.

Qual é o objetivo da aplicação?

Alguns exemplos incluem:

  • Resistir à extensão de joelho para desacelerar a perna e reduzir a carga excêntrica dos isquiotibiais ao final da extensão do joelho;
  • Resistir à translação lateral da patela, facilitar a contração do vasto medial oblíquo e ajudar na extensão do joelho na síndorme da dor patleofemoral;
  • Suportar o peso dos membros superiores na subluxação do ombro hemiplégico, de forma a reduzir a carga em estruturas dolorosas e melhorar a função;
  • Resistir à excursão do nervo ulnar, resistindo a flexão de ombro, pronação e extensão de pulso e dedos, assistindo assim a função muscular, que pode se tornar ativada demais e se transformar em uma fonte constante de irritação;
  • Entre outros.
Como ter sucesso na aplicação de bandagens

Usando a Dynamic Tape na prática clínica

Estes são alguns conselhos práticos para seu uso.

Como toda técnica e todo tratamento na área de saúde, a DT não é indicada para todas as pessoas e para qualquer caso. Ela possui indicações precisas e específicas e deve ser usada após uma avaliação individualizada do paciente e das suas necessidades.

Outro ponto importante a ser levado em consideração é que a DT, se não for aplicada corretamente, pode levar à algumas reações adversas.

A bandagem é hipoalergênica e os casos de alergias relatados são muito raros.

O que ocorre com mais frequência são erros cometidos pelo profissional, durante a aplicação da bandagem DT.

Isto acontece principalmente por 3 motivos:

  • O profissional acredita que não precisa aprender a técnica da Dynamic Tape, porque já fez outros cursos de bandagem. Neste caso, ele estará aplicando um produto diferente, criado com um objetivo diferente, usando uma técnica que ele já conhece e que não é adequada para a DT. Com certeza, este profissional não terá bons resultados com a DT.
  • Ele erra na âncora da Dynamic Tape. A âncora deve ser bem maior do que a das outras bandagens. A Dynamic Tape é uma bandagem fortemente elástica e se tiver um pedaço pequeno de pele para suportar o seu movimento, esta pele ficará irritada, podendo até formar bolhas. A âncora mínima da Dynamic Tape deve ser de 5 cm e ela não deve estar num local de pele mais fina, como por exemplo a parte interna do braço.
  • Erro de tensão. A tensão usada numa aplicação de Dynamic Tape deve ser mínima, o suficiente para apenas tirar a folga da bandagem, sem deformar o desenho dela. A tensão vem do fato de que ela sempre será aplicada com o membro em posição de encurtamento. Quando o paciente volta para a posição normal, aparece a tensão que não existia quando ele estava na posição de encurtamento.

Caso o seu paciente apresente qualquer reação à aplicação da DT, você deverá colar um pequeno pedaço da bandagem atrás da orelha do paciente e aguardar 20 minutos. Este tempo será suficiente para começar a surgir algum tipo de reação alérgica no local, caso ele seja realmente alérgico ao produto.

Reações adversas

Como ter sucesso na aplicação de bandagens

Existem três tipos comuns de reações que acontecem com as bandagens adesivas. O adesivo usado na DT, no entanto, foi testado e avaliado com um tipo de adesivo não sensibilizador, não irritativo e não tóxico, considerado, de uma forma geral, um material muito pouco alérgico. Ele também é 20% mais forte que o adesivo das outras bandagens elásticas.

Ainda assim, reações adversas podem ocorrer. As três reações mais comumente ligadas às bandagens adesivas são:

Alergia: Uma reação alérgica ao adesivo da bandagem pode ser observada como uma dermatite de contato severa, apresentando os mesmos sinais e sintomas. A alergia se manifesta rapidamente, geralmente dentro de 15 a 30 minutos após a aplicação da bandagem e aparecerá em todo e qualquer lugar que esteja em contato com a bandagem. A pele sob a bandagem ficará vermelha, quente e coçando. Todos os pacientes devem ser informados da possibilidade desse tipo de reação que, embora rara, é bastante incômoda. Caso uma reação alérgica aconteça, com a presença de qualquer sinal como ardor, rubor, calor, edema, irritação, etc, o paciente deve retirar a bandagem imediatamente. Caso a bandagem não seja retirada a tempo, reações mais severas podem ocorrer, como lesões permanentes na pele. Caso a aplicação da bandagem não esteja gerando nenhum tipo de reação, ela pode ser deixada por até sete dias sem necessidade de troca.

Dermatite de contato: Essa reação geralmente ocorre quando produtos à base de algodão ficam úmidos e permanecem em contato com a pele por vários dias seguidos. É uma reação menos intensa que a alergia. A dermatite de contato raramente ocorre com a DT, pois o seu material é bem poroso, permitindo assim o secamento rápido e não retendo umidade.

Irritação mecânica: Qualquer tipo de aplicação de bandagem sobre a pela pode gerar uma irritação mecânica, caso haja uma tensão excessiva no momento da aplicação, ou se ocorrer atrito com a pele. No caso da DT, essa reação é difícil de acontecer quando as indicações de uso são seguidas corretamente, devido à sua característica de armazenamento de energia e suas formas de uso. O sinal característico de lesão mecânica é a bolha de tração. Essas bolhas de tração aparecem em pontos isolados, normalmente nas extremidades da aplicação e não por toda a região de aplicação da bandagem. Elas começam a ser notadas horas após a aplicação, ou mesmo dias, dependendo da quantidade de tensão aplicada na pele. Os sintomas podem ser diversos, tais como sensação de queimação, coceira, formigamento, dor, ou mesmo a sensação de uma pele mais sensível.

Todas as reações acima podem ocorrer se uma tensão maior do que a necessária for aplicada. Essas reações são resultado, em sua maioria, de erros de aplicação e podem ser evitadas se as instruções de uso da DT forem corretamente seguidas e se o paciente for corretamente orientado.

Vamos então resumir agora as instruções de uso da DT, de forma a evitar as reações adversas citadas acima, e garantir um efeito ótimo da bandagem.

Instruções de uso para a DT

Como ter sucesso na aplicação de bandagens

Talvez esse seja o ponto ais importante de toda a nossa conversa sobre DT. De nada adianta saber para que ela serve, todos os seus benefícios, exatamente em quais casos utilizar, se na hora da aplicação você não souber o que fazer e usar a bandagem de forma equivocada.

A aplicação correta da DT maximiza os resultados, evita reações adversas e, como consequência, aumenta a adesão do paciente ao tratamento, fazendo com que ambos, fisioterapeuta e paciente, atinjam os objetivos do tratamento de forma mais rápida e satisfatória.

É também importante saber distinguir uma reação causada por uma técnica de aplicação falha e uma reação alérgica verdadeira.

O adesivo da DT é mais forte do que o adesivo utilizado em outras bandagens, portanto, adere mais à pele se aplicado corretamente.

As principais orientações para o uso e aplicação da DT são:

  • Preparo adequado da pele antes da aplicação – limpeza e remoção de impurezas e substâncias que possam alterar a capacidade adesiva da bandagem, tais como cremes e óleos;
  • Remoção do papel de trás da bandagem, rasgando-o de forma que os dedos do fisioterapeuta não entrem em contato com o adesivo;
  • Preparação de uma âncora adequada para a bandagem, com cerca de três a quatro dedos, sem aplicar tensão na bandagem em sua extremidade;
  • Tensionar a bandagem apenas até o surgimento da resistência. Não estique demais a bandagem, pois o início da resistência acontece quase que imediatamente após a aplicação da tensão. Para isso, é importante que o fisioterapeuta se familiarize com a DT, praticando esticar a bandagem gentilmente até que se tenha uma boa noção de onde a resistência começa a aparecer.

Seguir essas indicações básicas permitirá uma otimização da técnica, resultados mais rápidos, seguros e evitará o aparecimento de reações adversas.

Ficou com alguma dúvida? Tem algo a acrescentar sobre o uso da DT?

Onde comprar Dynamic Tape – www.lupmed.com.br

Conte pra gente nos comentários!

Acesse nossa página no Facebook – https://www.facebook.com/lupmed
Acesse nosso Instagram – https://www.instagram.com/lupmed