Você Sabe Qual a Verdadeira Causa da Dor Lombar do Seu Paciente?

2
13547
Dor Lombar

Uma Visão Geral dos Músculos Envolvidos nessa Condição

A maioria dos casos de dor lombar é atribuída a fatores estruturais, como hérnias de disco, osteoartrite, ou pinçamentos nervosos. Mas na verdade, a maior parte das dores lombares pode ser causada por pontos de gatilho, porque a verdadeira causa da maior parte da dor lombar é de origem muscular, e os fatores estruturais, mesmo quando presentes, possuem um papel pequeno na geração dos sintomas, que são em sua grande maioria causados por pontos de gatilhos. E tanto faz se a dor for aguda ou crônica, isso vale para os dois tipos de dor lombar. Veja como isto funciona.

O que leva à formação de pontos gatilhos

O corpo tem a tendência de “se fechar” ao redor da dor, de forma a evitar qualquer outro estímulo nocivo no mesmo local. Os pontos de gatilhos são apenas um dos mecanismos que o corpo utiliza para fazer isso.

A musculatura literalmente “trava”, impedindo que o corpo se lesione ainda mais. E dependendo do tempo de curso da dor lombar, algumas pontos de gatilhos clássicos aparecem.

Temos como exemplo a manifestação dos músculos eretores da espinha, iliopsoas, quadrado lombar, piriforme, e reto abdominal em pontos gatilhos em paciente com hérnias de disco, enquanto o glúteo médio tende a desenvolver pontos gatilhos em resposta à disfunções na articulação sacro-ilíaca.

Vamos rever aqui os principais músculos envolvidos quando temos um quadro clássico de dor lombar.

Visão geral dos músculos envolvidos na dor lombar

  • Multifídios:

Os músculos multifídios possuem uma organização profunda, e outra mais superficial, e está diretamente relacionado com a maioria dos casos de dor lombar, frequentemente se apresentando com pontos gatilho.

Devido às suas partes mais profundas, trabalhar este músculo exige pressões mais firmes para a liberação de seus pontos gatilho.

A dor é geralmente relatada nos processos espinhosos de L1 a L5, e anteriormente, no abdômen. O Segmento S1 projeta a dor no cóccix. A dor se irradia ainda lateralmente de T4 a T5, até o ângulo inferior da escápula.

Pontos gatilho localizados na região cervical do multifideo referem dor da região subocciptal, abaixo do pescoço na parte posterioraté o nível na região do segmento T3, e lateralmente nos rombóides.

A dor pode ainda ser referida na base do pescoço e região superior das costas.

  • Eretores da Espinha

Os eretores da espinha não são responsáveis por manter a coluna ereta, como o nome pode sugerir. O músculo na verdade, não apresenta quase nenhuma atividade elétrica quando estamos de pé, exercendo pouco ou nenhum controle postural.

O seu papel é estabilizar a coluna durante os movimentos de extensão e flexão e é nesses momentos que vemos sua ativação elétrica.

Ele possui três divisões, e cada uma delas pode gerar um ponto gatilho. Padrões de dor individuais de diferentes pontos gatilho podem se unir, formando uma única região dolorida na coluna lombar.

  • Piriforme

O piriforme tem sua ação na desaceleração da rotação interna do quadril, e atua ainda na adução do quadril quando este está fletido.

Um piriforme encurtado leva à rotação do sacro, podendo levar inclusive à uma falsa dismetria dos membros inferiores, dando a impressão de que uma perna é mais curta que a outra.

Essa rotação do sacro aumenta a sobrecarga na articulação sacroilíaca, levando à disfunções lombares, e, se não tratada a tempo, pode inclusive levar a problemas no ombro.

O encurtamento do piriforme é ainda responsável pelo que chamamos de Síndrome do Piriforme, causando compressão do nervo ciático, e levando a um quadro característico de dor ciática que se irradia pelas nádegas e região posterior de coxa.

  • Reto abdominal

O reto abdominal possui dois padrões diferentes, um no nível do processo xifóide, espalhando a bilateralmente através da coluna torácica, e outro no nível do umbigo e do ligamento inguinal, através do qual a dor se espalha pela coluna lombar e pela região sacroilíaca.

Além da dor lombar, pontos gatilho no reto abdominal podem causar outras dores e sintomas, como dor no peito, queimação, diarréia, dismenorréia, e gases.

  • Ileopsoas

O ilepsoas promove desaceleração da rotação interna do fêmur na fase de apoio do calcanhar da marcha, e desacelera a extensão do quadril.

A contração bilateral desse músculo promove estabilidade para a coluna lombar. No entanto, ele é propenso a encurtamentos caso sofra sobrecarga, produzindo assim pontos gatilhos. Essa sobrecarga pode inclusive causar a inibição do músculo glúteo máximo.

Permanecer por muito tempo da posição sentado é um fator identificado como precursor na formação de pontos gatilho. Eles se formam no psoas maior, como resultado de pontos gatilho primários, na unidade funcional do ileopsoas, incluindo o reto femoral, o pectíneo,o sartório, o tensor da fáscia lata, os adutores de coxa, e o grácil.

A dor é tipicamente sentida em um padrão vertical, ipsilateral, ao longo da coluna lombar, e para baixo, passando pela articulação sacroilíaca, e pela região glútea.

  • Glúteo Máximo

O glúteo máximo tem um papel muito importante na estabilização tanto da articulação sacroilíaca, quando na do joelho. Suas fibras superiores se conectam na aponeurose do ligamento sacrituberoso e suas fibras inferiores são conectadas anteriormente na banda ileotibial, promovendo uma tensão que vai até a articulação do joelho.

A hipótese para o surgimento de pontos gatilho no glúteo máximo é a inibição dos músculos glúteos causada por espasmos do ileopsoas, do glúteo médio,e do glúteo mínimo. A formação desses pontos gatilho promovem o suporte necessário para a articulação sacroilíaca em casos de sobrecarga.

A dor é sentida na coluna lombar, e é semelhante àquela experimentada por paciente com bursite trocantérica.

  • Glúteo Médio

O glúteo médio é um dos maiores geradores de dor lombar, e de dor no quadril, e são responsáveis pela queixa de dor em queimação na região posterior e superior da articulação sacroilíaca.

A dor pode ser confundida com uma lombalgia primária, com desconforto sentido nos glúteos e na região posterior de coxa.

  • Isquiotibiais

Normalmente, a dor causada por pontos de gatilho nos isquitibiais é referida na região glútea, com alguma dor residual que se espalha acima do joelho, e na região medial do gastrocnêmio pode ser confundida com dor ciática.

Glúteos inibidos e fracos, incluindo o glúteo médio, podem levar a pontos gatilhos nos isquiotibiais e nos eretores da coluna lombar, incluindo o quadrado lombar.

Em última instância, os isquiotibiais estão tentando assumir o papel dos glúteos, enquanto os músculos da lombar estão tentando assumir o papel dos isquiotibiais, resultando na sobrecarga desses músculos.

  • Quadrado lombar

Quando o quadrado lombar de encurta, temos um encurtamento funcional da perna do mesmo lado, que irá gerar diversas adaptações musculares, como o encurtamento dos adutores contralaterais, que tentam puxar o fêmur posteriormente no acetábulo.

Esse desequilíbrio muscular pode criar a falsa impressão de um encurtamento no lado contralateral, e inclusive levar à subluxação da sínfise púbica e da articulação sacroilíaca.

A dor gerada por pontos de gatilhos no quadrado lombar é sentida na região da articulação sacroilíaca, nos glúteos e no quadril. A dor referida na região da virilha e anterior da coxa pode ser muito incômoda.

Nesses casos, observamos ainda um medo de tossir, que usualmente aumenta a dor na região lombar.

  • Elevador do ânus

O músculo elevador do ânus é formado pelo músculo pubococcígeo, e pelo músculo ileococcigeo. Juntamente com o músculo coccígeo, eles formam o diafragma pélvico, ou o músculo do assoalho pévico.

Pontos gatilho no elevador do ânus podem ser a causa de quadros de dor lombar.

  • Sóleo

De um ponto de vista postural e dinâmico, o sóleo não deixa que o corpo caia para frente quando estamos de pé.

Durante a marcha, o sóleo é responsável pela desaceleração excêntrica da articulação talocrural, e da rotação interna da perna na fase de apoio do calcanhar. Ele ainda pode auxiliar na desaceleração da dorsiflexão do pé.

Pontos gatilho no sóleo podem ser também a origem de dor nas costas, por mais estranho que possa parecer.

O Objetivo deste texto foi chamar sua atenção oferecendo uma visão mais ampla sobre a dor lombar, sobre a sua avaliação, e sobre o seu tratamento. Traduzimos este material para você do blog americano com link abaixo. Se tiver interesse em receber mais artigos sobre Trigger Points ou Pontos de Gatilho, comente abaixo que podemos disponibilizar para você.

Adaptado de: http://bit.ly/lombarlupmed

[images style=”0″ image=”https%3A%2F%2Fportal.lupmed.com.br%2Fwp-content%2Fuploads%2F2018%2F06%2FLupmed-1024×341.jpg” width=”1024″ link_url=”https%3A%2F%2Fwww.lupmed.com.br%2F%3Futm_source%3DPortal%26utm_medium%3DImagem%26utm_campaign%3DPortal%26utm_content%3Ddorlombar” align=”center” top_margin=”0″ full_width=”Y”]